FIFPro e FIFA celebram acordo histórico


Anunciadas medidas para melhorar o futebol profissional. 

Após longa negociação, a FIFPro, organização representativa dos jogadores de futebol a nível mundial, da qual o Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF) é membro, celebrou um acordo histórico com a FIFA, válido para os próximos seis anos.

Os esforços da FIFPro para uma reforma do RSTP - Regulations on the Status and Transfer of Players, vulgarmente conhecido por regulamento de transferências da FIFA, iniciaram-se em 2015 com a apresentação de uma queixa na Comissão Europeia, focada na violação de inúmeros direitos fundamentais dos jogadores, enquanto trabalhadores, que foi agora retirada.

O novo acordo de cooperação com a FIFA, o primeiro desde 2006, consolida o papel da FIFPro como representante dos jogadores a nível mundial no futuro próximo.

Com a assinatura deste acordo, questões como salários em atraso e diversas formas de tratamento abusivo para com os jogadores, como colocar os futebolistas a treinar à parte do restante plantel, terão sanções mais severas.

No âmbito do acordo entre a FIFPro e a FIFA, será estabelecido um grupo de trabalho que terá como missão reformular o atual sistema de transferências, em vigor desde 2001.

Joaquim Evangelista, presidente do SJPF e membro da Direção da Divisão Europa da FIFPro, congratula-se com este entendimento:

“Estamos perante um momento histórico na defesa dos direitos e garantias laborais dos jogadores de futebol a nível mundial. Destaco o diálogo efetivo entre os principais agentes do futebol, num clima de renovação e confiança. A FIFPro tem sabido bater-se pela uniformização de um standard mínimo de proteção, que respeite não só as características desta atividade como os direitos laborais e humanos inalienáveis de qualquer cidadão. Muitas das regras que serão abolidas, relacionadas com o “enclausuramento” contratual do jogador e a manutenção do vínculo laboral e desportivo, mesmo quando existe incumprimento grosseiro da parte do clube, contribuirão para um futebol mais justo e, estou certo, para evitar situações dramáticas que ocorrem um pouco por todo o mundo. É um orgulho fazer parte deste momento, que honra o futebol e o desporto profissional.”

O comunicado da FIFPro sobre o acordo alcançado pode ser lido, na íntegra, AQUI.

Partilhar