Projeto SPIN

Caracterização

O SJPF, na sequência do trabalho desenvolvido na promoção das boas práticas desportivas, em 2011-2013 integrou, com a VIDC – Fair-Play (Áustria), Camino (Alemanha), UISP (Itália), FAI (República da Irlanda), Likkukaa (Finlândia) e Mahatma Gandhi Organization (Hungria) o projeto SPIN, programa transnacional apoiado pela União Europeia.

O projeto SPIN pretende promover a inclusão e a participação dos migrantes, recém-chegados, nos diferentes níveis do desporto (formal e informal) através da formação, sensibilização e capacidade de construir por parte dos diversos agentes desportivos, e visa: 

  • Sensibilizar os clubes amadores/formação a serem proativos na abertura à receção de migrantes e minorias étnicas.
  • Favorecer, apoiar e promover a capacidade de criar equipas de migrantes e iniciativas que incluam refugiados em ordem a participar em competições e ligas regulares.
  • Criar programas de futebol para refugiados, de modo a incluir também o sexo feminino.
  • Conseguir a colaboração de todos os agentes desportivos locais.
  • Ultrapassar a caridade e consolidar um apoio regular, sustentável, sistematizado e organizado não só ao nível dos jogadores, mas também treinadores, administradores, diretores e árbitros.

Equipa

- Joaquim Evangelista, presidente da direcção do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), é o coordenador do projecto;

- Bruno Silva é o técnico responsável pelo desenvolvimento das actividades e o interlocutor com os demais parceiros do projecto ESPIN;

- Salomé Mairovet, docente na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, é a avaliadora do projecto ESPIN.