“Quando a equipa não sofre situações de golo, está mais próxima de marcar”


Leonel Pontes analisa prestação da Seleção Nacional e antevê dupla jornada de novembro.

Portugal manteve a tradição e voltou a vencer o Luxemburgo em casa sem conceder qualquer golo. Um hat-trick de Ronaldo, um golo de Bruno Fernandes e outro de Palhinha fecharam o 5-0, que ditou a vitória portuguesa num Estádio do Algarve lotado.

Leonel Pontes, que conviveu de perto com Cristiano Ronaldo, Bruno Fernandes e Rui Patrício, fez uma análise ao jogo que fechou mais uma dupla jornada de qualificação para o Mundial 2023. Apesar de considerar o resultado natural, alerta que “o Luxemburgo atualmente não é igual ao de há cinco ou dez anos. É um Luxemburgo transformado do ponto de vista de organização. É uma equipa mais organizada, com mais qualidade individual.”. “O jogo foi mais fácil porque nos primeiros 15 minutos conseguimos logo fazer dois golos e embalámos para uma boa exibição”, mas marcar não é tudo.

O técnico considera que a organização defensiva de uma equipa é uma peça-chave para qualquer vitória: “Não me recordo do Rui Patrício ter feito uma defesa na primeira parte e isso foi um bom sinal. Quando a equipa não sofre situações de golo está sempre mais próxima de marcar”.

A partida frente ao Luxemburgo deu para tudo, especialmente para sorrisos, algo que se fez notar na atitude da equipa. Leonel Pontes considera que “foi uma exibição consistente, alegre, os jogadores estavam com uma boa disponibilidade, boa energia e isso sente-se em campo”.

A noite foi particularmente feliz para alguns dos jogadores que treinaram com Leonel Pontes – Cristiano Ronaldo chegou ao golo 801 na carreira, Bruno Fernandes voltou a marcar pela Seleção e Rui Patrício assinalou a sua 100.ª internacionalização.

O antigo treinador do Sporting recorda o início de carreira de cada um, sendo que afirma que nunca duvidou de que Rui Patrício e Cristiano Ronaldo atingissem patamares elevados. “Isto é a lei da observação”, começa por dizer, “a partir dos 15, 16 anos o Ronaldo não nos deixou qualquer dúvida de que iria chegar ao mais alto nível – não sabíamos até que ponto – e o mesmo em relação ao Rui Patrício”.

Quanto ao guarda-redes, o segredo esteve no “seu foco no treino e no jogo, pela sua vontade de trabalhar, pela sua humildade e pelo seu perfil físico”. Relembrou também o dia em que Patrício foi lançado na equipa principal do Sporting “num jogo com o Marítimo em que ele defendeu um penálti”. A partir daí nasceu o Rui Patrício que todos conhecemos. Leonel Pontes considera que o internacional português “errou e aprendeu com os erros e hoje é um jogador maduro, formado, consciente das suas virtudes e defeitos. Estamos perante um grande guarda-redes”.

Já Bruno Fernandes, “era um jogador com qualidade, mas que não se evidenciava muito”. Foi quando chegou ao Sporting que Leonel Pontes considera que o jogador deu o salto. “Sabe atacar, sabe defender, toma boas decisões e tem uma grande qualidade técnica. É um jogador muito intuitivo, que sabe ler o jogo e um grande líder pela positiva. Estamos perante um dos melhores médios do mundo.”

Portugal volta a ir a jogo em novembro, para mais uma dupla jornada. Vai até à Irlanda no dia 11 e recebe a Sérvia, para o fecho da qualificação para o Mundial de 2023, no dia 14. Sobre os dois encontros que Portugal tem pela frente, Leonel Pontes considera “fundamental ganhar o próximo jogo”. “Temos de ganhar com a Irlanda fora, manter a vantagem sobre a Sérvia para que, em casa, no caso de algum percalço, podermos empatar e passar à fase seguinte”.

Partilhar