World Football Summit Sevilha


Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato, foi um dos oradores no evento.

Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato dos Jogadores português, David Aganzo, presidente da FIFPro e David Terrier, vice-presidente do Sindicato dos Jogadores francês, estiveram presentes no World Football Summit, enquanto oradores do painel "Workplace challenges for players and their unions in a World Cup year".

No passado dia 28 de setembro, decorreu o primeiro dia da sexta edição do World Football Summit (WFS) Europe, um evento que reúne os principais stakeholders do mundo do futebol para trazer à mesa de debate os demais assuntos urgentes da indústria, como futebol feminino, tecnologia e, claro, o mundial 2022. Neste painel em concreto, que juntou Sindicatos, e foi moderado por Frederico Quintero, CEO da El Desmarque, foram abordados os desafios que o Mundial do Qatar pode trazer aos atletas e aos próprios Sindicatos.

Um calendário sobrecarregado, uma acumulação de viagens, por motivos competitivos, no período que antecede o Mundial e até o desequilíbrio das condições de trabalho entre confederações são motivos de preocupação para os Sindicatos. Além destas preocupações relativas às condições de trabalho e bem-estar físico dos jogadores, junta-se um fenómeno que, ainda que não seja novo, parece ganhar novas dimensões: os abusos e assédio nas redes sociais. 

Os oradores expuseram as suas preocupações e revelaram uma coordenação entre a FIFPro e outras organizações de forma a criar novos e melhores regulamentos que visam proteger os jogadores e zelar pelos seus direitos. 

Partilhar